Circuito Netas
  • Home

Comportamentos, Habilidades e Atitudes Essenciais para o Sucesso dos Líderes

 

Uma das competências mais buscada pelas empresas hoje em dia é a liderança, que muitas vezes já é inerente ao profissional, mas que também pode ser desenvolvida ao longo da carreira.

Por meio de muita leitura, treinamentos, cursos e, é claro, prática, todo profissional pode desenvolver sua liderança e assim, atuar no desenvolvimento de uma equipe.

Entretanto, para ser um líder de sucesso, alguns comportamentos, habilidades e atitudes são essenciais e extremamente valorizadas no mercado de trabalho. Confira abaixo as principais!

1- Valorizar o trabalho de cada colaborador

Valorizar o trabalho de um colaborador vai muito além de elogiar uma tarefa bem feita ou exaltá-lo em público por isso.

Um líder de sucesso sabe quais são as competências, habilidades, fraquezas, necessidades e objetivos individuais de seus colaboradores e faz com que eles trabalhem isso e se desenvolvam cada vez mais.

É claro que o reconhecimento também é fundamental, mas somente isso não é o suficiente para que o funcionário se sinta valorizado e motivado.

O líder também deve sempre estimular um ambiente criativo, permitindo que sua equipe exponha suas opiniões e tenham ideias inovadoras. Para isso, é muito importante investir em treinamentos, cursos, palestras e debates, que vão abrir os horizontes de seus colaboradores e deixá-los mais preparados para traçar e executar estratégias de sucesso.

2- Dar feedbacks com frequência

Sem feedbacks e orientações, fica muito difícil para o colaborador saber onde está errando. Por isso, um bom líder deve sempre estar atento aos erros e acertos de seus funcionários e dizê-los por meio de feedbacks sinceros.

Lembre-se que um feedback não é somente para apontar erros, mas sim comentar os pontos positivos positivos e os pontos de melhoria do trabalho do colaborador e orientá-lo para a solução. Isso desenvolve o autoconhecimento tanto no líder, quanto no liderado e ambas as partes só têm a ganhar.

3- Ter empatia

Se colocar no lugar do outro é uma prática importante para todas as relações, e no ambiente profissional não é diferente. Todos nós temos uma trajetória pessoal e profissional distinta, o que muitas vezes dificulta o nosso entendimento de outro ponto de vista.

Não é sempre que o líder já ocupou os mesmos cargos que seus liderados, antes de chegar à sua posição atual, por exemplo. Isso pode atrapalhar o entendimento das dificuldades específicas de uma função, e nesse momento a empatia é essencial.

Se colocar no lugar de quem está desempenhando outro papel, e buscar alternativas para auxiliá-lo, é um grande diferencial no mercado.

4- Saber delegar tarefas

Grandes líderes devem saber delegar tarefas e não centralizar as informações. Os colaboradores devem estar cientes de tudo que acontece na empresa para que possam tomar as decisões corretas, levando todos os cenários em consideração.

O líder deve saber delegar as tarefas por igual entre os colaboradores, pois se eles fazem parte da equipe, estão capacitados para desempenhar a função. Além do mais, o desenvolvimento e aprendizado vem com a prática, e os desafios estão aí para isso.

É claro que o líder deve sempre acompanhar o andamento das tarefas delegadas e se colocar à disposição para ajudar no que for necessário, mas ele não deve tomá-las para si, como se fosse a única pessoa na empresa capaz de executá-las.

5- Ser humilde e assumir seus erros

Ninguém é perfeito, mas saber reconhecer os próprios erros é sinônimo de caráter. Se você não conseguiu atender as expectativas de alguém, cometeu um erro em algum projeto ou em qualquer outra situação, assuma-o.

Assuma seus erros, mas não perca tempo. Quando se trabalha com pessoas e estratégias, nem sempre as coisas saem como o planejado, e nesse momento, encontrar a solução ideal para corrigir a falha deve ser a prioridade.

6- Transmitir confiança e liderar pelo exemplo

Um bom líder deve ter entusiasmo pelo que faz e acreditar no propósito e nos objetivos da empresa. Ser ético, imparcial e estar sempre disponível para os seus colaboradores são atitudes que transmitem confiança e essa é a melhor forma de garantir que eles tenham a mesma postura.

Vista a camisa da sua empresa, não tenha medo de colocar a mão na massa quando for preciso e leve seu time com você!

Se você está em busca do desenvolvimento de liderança, a Circuito Netas trabalha com a realização de treinamentos vivenciais que aprimoram essas e outras características importantes para ser um líder de alta performance. Entre em contato conosco e saiba mais!

Como receber e dar feedbacks

Receber e dar feedbacks é algo muito importante no ambiente corporativo, visto que é uma ferramenta incrível para o desenvolvimento de líderes e liderados, que a partir dos feedbacks recebidos aumentam o seu autoconhecimento e, assim, melhoram constantemente seu desempenho no trabalho.

No entanto, muitos profissionais ainda encaram o feedback como uma crítica, e esse pensamento atrapalha bastante tanto a aplicação quanto o recebimento de um feedback, por ser visto sempre como algo negativo.

Mudar essa visão e entender que o feedback deve fazer sim parte da cultura da empresa, e que sem ele é impossível os colaboradores saberem onde estão errando e acertando, é o primeiro passo para receber e dar feedbacks que realmente vão fazer a diferença no desenvolvimento de sua equipe e nos resultados da organização.

Se você já entendeu a importância do feedback para o desenvolvimento de sua equipe e organização e quer saber como dar e receber feedbacks valiosos, veja as dicas que separamos abaixo!

Aprenda a ouvir sem rebater

O feedback pode ser uma via de mão dupla, sendo uma ferramenta utilizada tanto para o gestor desenvolver sua equipe quanto para sua equipe alertá-lo sobre seus pontos de melhoria.

Portanto, aprender a ouvir, de fato, o que seus colaboradores têm a dizer sobre o seu trabalho, sem levar isso como uma crítica, mas sim uma chance de alcançar ainda mais resultados, é fundamental para o líder.

Além disso, não rebater o feedback na hora também é uma boa prática, pois justificar tudo pode ser um sinal de que você não está tomando o feedback como algo positivo, o que pode inibir seus liderados em uma próxima oportunidade.

Dê uma sugestão de melhoria

De nada adianta falar, reclamar de alguma ação do colaborador e não dar uma sugestão prática para a resolução da situação. Isso porque muitas vezes o erro que o funcionário está cometendo é por pura falta de conhecimento ou informação sobre os processos e expectativas da empresa.

Então, sempre que for aplicar um feedback, já tenha em mente pelo menos uma sugestão de como aquele colaborador pode melhorar no aspecto abordado e crie, juntamente com ele, um plano de ação com metas e prazos, que serão acompanhados por você.

Exercite a empatia

Saber se colocar no lugar do outro também é essencial para dar ou receber um feedback realmente construtivo. Quando tentamos enxergar a situação com os olhos de outra pessoa, fica mais fácil entender o porquê de ela estar tendo determinada conduta e quais seriam as motivações a serem exploradas ao sugerir melhorias.

O mesmo vale quando é você que está recebendo um feedback. Tentar entender o que está sendo dito, imaginando como seria se você estivesse na posição oposta, vai ajudá-lo a extrair o melhor desta conversa.

Crie um ambiente de confiança

Os membros de sua equipe precisam confiar em você e ter a certeza de que serão ouvidos e levado a sério quando quiserem dar um feedback a você ou a outro colega.

A honestidade e transparência também contam muito neste quesito, e ao mesmo passo que você cobra a transparência de seus membros, também deve oferecer isso a eles.

Sendo assim, é imprescindível a criação de um ambiente de confiança, onde a opinião de todos seja respeitada e cada um tenha a liberdade de expor suas ideias e pontos de vista. Manter um canal de comunicação aberto pode ser muito produtivo para todas as áreas da companhia!

Aplique o feedback individualmente

Normalmente, as pessoas ficam desconfortáveis ao terem seus pontos de melhoria expostos na frente de seus colegas. Deste modo, para evitar constrangimentos o feedback deve ser aplicado individualmente para cada membro.

Aproveite este momento para também ouvir o colaborador e perguntar se ele tem algo a dizer sobre o trabalho, a equipe ou até mesmo a liderança. E sempre considere realmente suas sugestões.

Aborde também os pontos positivos

Engana-se quem pensa que dar um feedback é abordar apenas os erros e falhas do funcionário.

Saber reconhecer seus talentos e fazer questão de elogiar e dizer a eles o que estão fazendo de correto, estimula os colaboradores a buscarem sempre o melhor. Invista nisso!

Se você gostou deste artigo e tem interesse em conhecer novas ferramentas para o desenvolvimento de equipes, a Circuito Netas trabalha com a realização de treinamentos vivenciais, feitos para ajudar no desenvolvimento das habilidades de seus colaboradores.

Entre em contato conosco e saiba mais!

Como o treinamento vivencial pode transformar o conhecimento em ação

O conhecimento pode ser adquirido de várias formas, porém, sabemos que a vivência faz toda a diferença na fixação de um conteúdo ou até mesmo o desenvolvimento de uma habilidade.

Por esse motivo, o treinamento vivencial se destaca quando comparado a outros modelos de treinamentos corporativos, promovendo uma verdadeira transformação na forma de agir de seus participantes.

Quer saber como o treinamento vivencial pode transformar o conhecimento em ação? Continue lendo este artigo!

O que é o treinamento vivencial?

O treinamento vivencial é uma capacitação que busca transmitir determinado conteúdo e desenvolver habilidades e competências por meio de atividades experienciais.

A realização de jogos corporativos e dinâmicas de grupos para a resolução de cases é um dos pontos chave de um treinamento vivencial, que coloca o participante em contato com situações conflitantes e que precisam ser resolvidas com urgência e em equipe.

Atividades de reflexão e que estimulam o autoconhecimento também são muito aplicadas neste tipo de treinamento, fortalecendo a autoconfiança e mostrando o que o colaborador é capaz de entregar para a sua empresa.

Como o treinamento vivencial pode transformar o conhecimento em ação?

Em um mercado altamente competitivo, trabalhar com o desenvolvimento de equipes e cuidar da atração e retenção de talentos é um diferencial enorme para grandes empresas que desejam se destacar.

Diversas crises organizacionais poderiam ser facilmente evitadas com a construção de times unidos e a melhora da comunicação entre eles.

Abaixo, listamos alguns dos resultados de um treinamento vivencial bem executado, e que levam os colaboradores de uma empresa à tão esperada ação. Confira!

Aprendizado acelerado

Como em um treinamento vivencial as emoções são facilmente despertadas, o aprendizado é mais rápido do que em uma sala de aula, onde os conceitos são transmitidos por teoria.

Ao se apresentar por meio de emoções, o conceito é retido mais facilmente pela pessoa, que passa a associar determinada ação com sua vivência e, assim, acessar esse conhecimento toda vez que tiver que lidar com uma situação parecida.

Identificação das responsabilidades

Um trabalho em equipe bem feito deve ter todas as responsabilidades e etapas delegadas claramente para todo o time.

Esse é, inclusive, um dos erros mais comuns na gestão de um time e que gera muitos conflitos nas organizações.

Quando os membros não sabem exatamente sobre quais tarefas eles são responsáveis e o que eles devem esperar de seus colegas, executar o trabalho com excelência é quase impossível.

Além disso, quando um colaborador passa por algum tipo de treinamento, ele se sente mais valorizado em seu trabalho, pois percebe que a empresa realmente está investindo em sua capacitação e, portanto, tem interesse em fazê-lo crescer dentro dela.

Integração da equipe

O fortalecimento do trabalho em equipe traz benefícios imensuráveis para o dia a dia da organização, que ganha na agilidade dos processos, melhora do clima organizacional, motivação e até mesmo em inovação e criatividade, visto que quando integradas, as pessoas estão mais dispostas a discutirem novas ideias e soluções.

Durante um treinamento vivencial os pontos fracos e fortes de cada um e da equipe como um todo são explorados, fazendo com que eles conheçam suas limitações e trabalhem em cima delas.

Além disso, em uma experiência vivencial, os participantes transmitem seus pontos de vista uns para os outros e criam um pensamento crítico para melhorar a empresa e seus processos, entendendo que cada um tem um papel fundamental nisso.

Conhecimento colocado em prática

Não é difícil encontrar pessoas que durante um curso ou treinamento digam coisas como “não sei porque estamos aprendendo isso, se nunca vamos usar”.

Porém, em um treinamento vivencial não há espaço para esse tipo de crença ou comportamento, já que os membros são desafiados a colocarem em prática tudo o que aprenderam, evidenciando que eles podem e devem utilizar esses conceitos para solucionar os problemas do dia a dia da companhia.

A participação dos colaboradores em situações iguais às que acontecem em seu trabalho, mas em um contexto diferente, facilitam a assimilação do conteúdo e mostra o quanto eles podem ser mais dinâmicos, explorando novas possibilidades, que podem ser aplicadas em seu setor ou empresa.

Quer conhecer o treinamento vivencial oferecido pelo Circuito Netas e transformar o conhecimento em ação na sua empresa? Entre em contato conosco e tire suas dúvidas!

 

6 tendências sobre desenvolvimento de equipes

O desenvolvimento de equipes é um tema que está em voga na atualidade, visto que os gestores de hoje estão entendendo melhor a importância que desenvolver as competências e habilidades de seus colaboradores têm para o crescimento de uma empresa.

Portanto, acompanhar as tendências de treinamento e desenvolvimento de equipes passa a ser uma tarefa crucial para garantir uma boa gestão de time e trabalhar por melhores resultados.

Para ajudá-lo nisso, listamos abaixo 6 tendências importantes sobre desenvolvimento de equipes, que todo gestor deve levar em consideração na hora de montar o seu planejamento. Confira!

1. Mensuração dos resultados

Mais do que oferecer treinamentos técnicos e comportamentais, uma grande tendência no mundo corporativo é mensurar e avaliar os resultados deste tipo de ação. De nada adianta colocar o desenvolvimento de sua equipe no planejamento, se as estratégias para que isso ocorra não tenham como ser mensuradas.

Isso porque as métricas servem para mostrar ao gestor se sua equipe está indo no caminho certo e quais são os pontos a serem melhorados, o que é fundamental para a otimização dos resultados.

2. Feedbacks em tempo real

O feedback é uma ferramenta excelente para o desenvolvimento individual e em equipe de seus funcionários, mas também funciona de maneira reversa, sendo uma ótima forma de avaliar o trabalho do gestor e até a eficácia dos treinamentos oferecidos pela empresa.

Por esse motivo, sempre estabeleça uma cultura de feedback em sua organização, podendo implementar momentos específicos para isso e incentivando os feedbacks em tempo real, que são capazes de corrigir falhas pontuais e melhorar a comunicação entre colaboradores e líderes.

3. Desenvolvimento de liderança

Já ficou claro para os empresários que um bom líder é capaz de melhorar o clima corporativo e trabalhar o desenvolvimento de sua equipe.

As diferenças entre um chefe e um líder estão amplamente difundidas e os gestores que estão atentos a isso, sabem o quanto o desenvolvimento de liderança é uma tendência e quem não investir nisso pode acabar ficando para trás.

Por isso, lembre-se de que para a sua equipe crescer e se desenvolver, ela precisa de um líder com habilidades e treinamentos específicos para explorar todo o seu potencial.

4. Microlearning

Microlearning é um método de ensino à distância que se apresenta de maneira mais flexível aos colaboradores de uma empresa, adaptando-se melhor à sua rotina.

Dentro desta metodologia de ensino, o aprendizado é mais rápido e objetivo, pois nela o conteúdo total é dividido em minicursos, o que torna o treinamento menos cansativo e permite que ele seja feito aos poucos, de acordo com a disponibilidade do funcionário.

Além disso, quando um grande curso é dividido em pequenos cursos isso torna-se mais útil e claro em um ambiente corporativo, já que nem sempre todos os conteúdos são relevantes para toda a equipe.

Assim, cada funcionário realiza apenas os cursos que serão úteis para o desenvolvimento das habilidades e conhecimentos necessários para o desempenho da sua função, economizando tempo e recursos.

O conhecimento dentro de uma empresa é algo que deve ser valorizado e incentivado de diversas formas e o microlearning é apenas uma delas. Para desenvolver suas equipes o ideal é combinar vários tipos de treinamentos e ações que os mantenham inspirados e interessados no aprendizado constante.

5. Alinhamento aos valores e necessidades da empresa

Uma grande tendência na área de desenvolvimento de equipes é que cada vez mais os líderes e as empresas responsáveis por treinamentos estão realizando capacitações focadas nas reais necessidades da organização.

Ou seja, os treinamentos não são mais genéricos, mas sim adaptados aos valores e necessidades da empresa, o que proporciona uma melhor performance de seus membros, além da melhora de indicadores de RH, como turnover e absenteísmo.

6. Treinamento vivencial

O treinamento vivencial é uma ferramenta incrível para o desenvolvimento de equipes, pois ela trabalha todos os pontos importantes para isso, como: motivação, inspiração, conexão com a empresa, sentimento de pertencimento, união, trabalho em equipe etc.

Durante um treinamento vivencial, a sua equipe sai do ambiente de trabalho e mergulha de cabeça em uma experiência agregadora tanto para a sua vida pessoal quanto profissional.

As habilidades e conhecimentos adquiridos por meio de vivências são mais impactantes e se fixam melhor na mente de seus colaboradores, além de mostrar para eles o quanto eles são capazes de superar as dificuldades, o que mais tarde refletirá em seu modo de trabalho.

O treinamento vivencial aplicado pelo Circuito Netas tem o grande diferencial de se adaptar às necessidades da sua organização e funcionários, sendo assim oferecidos treinamentos completamente customizados para potencializar os resultados de sua empresa.

Quer saber mais como funciona o treinamento vivencial e como ele pode desenvolver a sua equipe? Entre em contato conosco e tire suas dúvidas!

5 dicas imperdíveis sobre perfis comportamentais

Conhecer os perfis comportamentais de sua equipe é uma grande chance de conhece-la melhor e acertar nas estratégias de gestão de pessoas. Confira algumas dicas!

Entender os diferentes perfis comportamentais é uma tarefa muito importante para conhecer melhor a sua equipe e trabalhar no desenvolvimento de cada um de seus membros, o que é essencial para alcançar melhores resultados em todos os setores de uma empresa.

Grande parte dos conflitos entre os membros de um time deve-se a essa falta de entendimento dos perfis comportamentais, já que cada pessoa é diferente da outra e têm uma bagagem educacional, cultural e emocional distinta.

Portanto, a empatia e a tolerância são pontos chave na gestão de pessoas e é por isso que existem tantos estudos sobre os perfis comportamentais no mercado.

Cada estudo classifica os perfis com nomenclaturas diferentes, porém, vamos citar aqui as classificações da metodologia, que dividiu os perfis comportamentais em quatro: os comunicadores, os executores, os planejadores e os analistas.

Pelos nomes já é possível ter uma base de como é o pensamento e o modelo de trabalho de cada um deles. Então, abaixo vamos dar algumas dicas de como usar esse conhecimento a favor de sua empresa. Confira!

1. Utilize o perfil comportamental no processo seletivo

O perfil comportamental é algo que pode ser usado desde o processo seletivo, para garantir contratações mais assertivas e alinhadas com a missão, visão e valores da companhia.

O fato é que hoje em dia, muitas vezes o perfil comportamental deve falar mais alto do que os conhecimentos e habilidades do candidato na hora da seleção. Isso porque as habilidades técnicas podem ser desenvolvidas com mais facilidade do que as comportamentais, visto que cada profissional tem um perfil divergente.

Claro que existem cargos extremamente técnicos, que exigem conhecimentos e experiências mais amplas, mas vai do recrutador saber identificar essas necessidades e desenhar o perfil desejado para a vaga, antes mesmo de ela ser divulgada.

Portanto, depois de definir o perfil comportamental e técnico ideal para trabalhar em sua companhia, escolha um bom teste comportamental para avaliar o candidato no processo seletivo e facilitar a sua escolha.

2. Melhore a gestão de pessoas com o perfil comportamental

Conhecer o perfil comportamental de cada profissional da sua equipe vai facilitar bastante a gestão de pessoas em sua companhia.

Por isso, além de aplicar um teste de perfil comportamental para os candidatos nos processos seletivos, aplique também em seus atuais colaboradores, a fim de entender melhor as características de cada um deles e desenvolver estratégias para otimizar os resultados da equipe.

Esse teste pode ser reaplicado uma vez ao ano, para observar as mudanças e fazer as alterações necessárias. Isso ajuda inclusive na construção de planos de carreira, na aplicação de feedbacks e na criação de ações de melhoria de clima organizacional, por exemplo, já que com esses resultados em mãos, o gestor saberá como agradar melhor a sua equipe.

3. Delegue tarefas com base nos perfis comportamentais

Saber avaliar os perfis comportamentais é fundamental para manejá-los de maneira correta. Por isso, o gestor deve se interessar muito pelo tema e estudá-lo constantemente.

Depois de compreender melhor quais são as características e os pontos fortes e fracos de cada perfil comportamental, fica muito mais fácil delegar e distribuir tarefas que sejam mais motivadoras para cada um dos colaboradores.

Certamente, ainda haverão tarefas menos desejadas por eles, porém, se o gestor acertar na delegação da maioria, construirá um ambiente muito mais motivador e satisfatório para toda a equipe, explorando ao máximo o potencial de cada um.

4. Valorize e explore as diferenças entre seus funcionários

Trabalhar com perfis comportamentais diferentes é algo extremamente positivo para uma organização e o desenvolvimento pessoal e profissional de seus membros.

O alinhamento de valores deve ser conciso, porém as outras características de um perfil comportamental podem e devem ser diferentes, já que cada cargo e função exige capacidades diferentes.

Existem pessoas que são mais comunicadoras, enquanto outras são mais analíticas etc e isso deve ser valorizado e explorado da maneira correta, para que seus funcionários entendam que a união de todos esses perfis é que farão com que a organização alcance às metas e objetivos propostos.

5. Utilize os perfis estrategicamente nos treinamentos corporativos

Pode ser que sua equipe atual não tenha os perfis comportamentais ideais para o desempenho de suas funções ou que não estejam alinhados com os perfis desejados pela companhia.

Neste momento, os treinamentos corporativos entram como uma grande solução e os treinamentos vivenciais se destacam, já que promovem experiências impactantes e com grande poder inspiracional e de identificação entre os membros de um time, tanto entre si quanto com os valores da empresa.

O Circuito Netas oferece treinamentos vivenciais customizados para a sua empresa e o perfil comportamental de seus colaboradores. Quer saber como podemos ajudar? Entre em contato conosco!